Internacionais

Visto para China – Como solicitar

Muralha da China

Viajar para a China é uma aventura que tem início já no pedido de obtenção do visto de entrada. A coisa é bastante burocrática. Não é necessariamente difícil ser aprovado pelo serviço consular, mas é sim bastante trabalhoso. Aqui vou contar a minha experiência.

O site da Embaixada da China no Brasil não é lá muito informativo. Tem layout ultrapassado e informações desatualizadas. O formulário a ser preenchido é assustador. O atendimento pessoal tem horário super reduzido (entre 09:00 hs. e 12:00 hs.) e o atendimento telefônico é praticamente inexistente. Muita burocracia que não facilita em nada a vida de quem quer visitar o país.

Primeiro porque só há quatro lugares no país que emite o visto, e você não pode escolher onde vai entregar seu pedido:

– Consulado em São Paulo: recebe pedidos dos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul;

– Consulado no Rio de Janeiro: recebe pedidos dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito santo e Bahia;

– Consulado em Recife: recebe pedidos dos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão, Alagoas e Sergipe; e

– Embaixada em Brasília: recebe pedidos dos demais estados e do Distrito Federal.

O passaporte tem que ter pelo menos seis meses de validade e duas páginas para vistos em branco. (Há informação de que recentemente a validade mínima foi aumentada para um ano. O site oficial ainda não menciona isso. Na dúvida, vale a pena levar em conta o prazo maior.)

Formulário de pedido de visto para a China

O visto de turista é o categoria “L”. É necessário o preenchimento do formulário de requerimento , que apesar de assustar à primeira vista é bem tranquilo de completar. São pedidos documentos da viagem (passagens emitidas, reserva de hotéis/hostels, comprovante de renda). Também tem que afixar uma foto 3×4 com fundo branco. Até aí, nada demais.

A China concede vistos mediante o número de entradas pretendidas no país. Se você pretende circular dentro do território chinês apenas e sair de lá depois, pode pedir o visto de uma entrada. Se seu itinerário inclui passagem por outro país e retorno à China, deve pedir o visto de duas entradas, ou de múltiplas entradas, conforme for o caso.

ATENÇÃO: para efeitos migratórios, Hong Kong, Macau e Taiwan são considerados territórios autônomos. Tanto é erdade que se sua viagem for apenas para Hong Kong ou Macau não é sequer necessário o pedido de visto (Taiwan exige visto próprio, emitido pelo Escritório Econômio e Cutural de Taipei, que na prática faz o papel de embaixada). Mas se no seu planejamento estiver incluída uma visita a algum destes locais, considera-se como uma “saída da China”. Assim, para voltar ao território chinês, é necessária uma entrada extra no visto.

O valor a ser pago pelo visto depende da quantidade de entradas pretendidas. De acordo com o site do consulado, para cidadãos brasileiros os valores são estes:

– uma entrada (válido por 3 meses): R$ 160,00

– duas entradas (válido por 3 meses): R$ 240,00

– múltiplas entradas (válido por 6 meses): R$ 320,00

– múltiplas entradas (válido por 12 meses): R$ 480,00

O site ainda não informa, já ouvi informação de que os dois últimos foram substituídos por um novo visto de múltiplas entradas, com validade de 5 anos, por R$ 360,00. A conferir.

ATUALIZAÇÃO: a informação está confirmada. Agora o visto tem validade de 5 anos, independente do número de entradas. Seu valor é de R$ 320,00, conforme tabela do site da embaixada.

O prazo de entrega é de 5 dias, mas existe também uma taxa de urgência, caso necessite retirar antes. É preciso verificar a disponibilidade e os valores mediante o caso (24 ou 48 horas).

Não é necessário agendamento para o pedido. O ideal é o solicitante ir pessoalmente. Caso isso não seja possível, outra pessoa pode entregar e buscar os documentos, mediante autorização expressa. Existe também a possibilidade de envio do pedido pelos correios, mas neste caso você pode esquecer todos os prazos acima mencionados. Tudo vai ocorrer no ritmo deles e, além da taxa do visto, você vai ter que pagar uma taxa de envio do Sedex do passaporte de volta pra sua casa.

O pagamento deve ser feito apenas mediante depósito em dinheiro, na boca do caixa, conforme os dados passados pelo serviço consular correspondente. Nada de cartão, cheque, boleto, DOC, TED… Só dinheiro vivo mesmo!

Agora, se sua estada em território chinês não for superior a 72 horas, em virtude de trânsito para outro país (ou para Hong Kong, Macau e Taiwan) você pode pedir a isenção do visto, mediante determinadas condições. Mais detalhes nesse link.

MINHA EXPERIÊNCIA

Passei por alguns perrengues pra solicitar meu visto, primeiro porque meu passaporte estava prestes a vencer, e não se encaixaria na exigência de ter pelo menos seis meses de validade. A época da minha solicitação coincidiu com a suspensão de emissões por parte da Polícia Federal. Minha documentação demorou a ficar pronta.

Meu pedido deveria ser feito no Rio de Janeiro. Mandei tudo pelos correios, pois achava que assim facilitaria as coisas sem ter que viajar e nem ter que aporrinhar amigos que moram na cidade. O inocente aqui contava com os prazos mencionados no site. Mas os dias foram passando e nada de ter qualquer retorno do consulado.

As tentativas de contato telefônico não davam certo. Mesmo no horário de atendimento eu só caia na gravação com instruções genéricas. Quando tentava falar em outros setores, a receptividade não era das melhores. Até que um belo dia, quando tentava contatar qualquer funcionário do local, a ligação caiu (Deus sabe como…) no setor de vistos.

Estava a cerca de 10 dias da minha viagem e eu sequer tinha recebidos os dados para pagamento das taxas. A funcionária que me atendeu me tratou com a gentileza de um porco espinho com TPM, disse que os prazos do site não se aplicavam para pedidos enviados pelos correios, pois eles recebem muita correspondência até da China, e que meu pedido teria que esperar “na fila”.  Falou que se eu tinha tanta pressa deveria ter ido pessoalmente ou contratado um despachante, que se eu fizesse isso naquele momnto ele poderia retirar a documentação no consulado e reapresentar o pedido in loco, para que a coisa começasse a andar.

Algo me intuiu que ela mesma teria alguém pra indicar…

Peguei com ela o telefone de uma pessoa para realização do serviço. Então tudo passou a andar direitinho. Foi bom lidar com alguém que já conhecia toda a burocracia do lugar e sabia como fazer todos os trâmites. Achei mais conveniente que pedir pra alguém que não conhece a papelada, que teria que pegar documento, levar documento, pegar fila de banco, etc. A taxa cobrada foi até módica e recomendo a contratação. Se alguém estiver interessado, é só me pedir que eu passo os dados por email.

Visto chinês

No fim das contas, os passaportes chegaram em casa numa quinta-feira e minha viagem foi na terça-feira seguinte. Se você não quiser passar pelo mesmo aperto, é só fazer tudo com atenção e antecedência. Dá trabalho, mas vale muito a pena, até porque fica muito bonito no passaporte!

(Obrigado Gustao Lino e Juliana Melo por importantes observações acrescentadas ao texto.)

Anúncios

Categorias:Internacionais

Marcado como:, ,

Deixe uma resposta